• Sândor Vasconcelos

Austrália Oeste - 13 dias

Atualizado: Fev 6


Época da minha viagem: novembro de 2014

Precisa de visto? Para brasileiros, sim. Acesse aqui as informações para aplicar. Os formulários estão em inglês. Após finalizar o preenchimento e enviar (processo todo on-line), em meia hora o visto eletrônico chegou ao meu e-mail

Algum outro documento? Tome a vacina para febre amarela e emita o certificado internacional, é obrigatório. Leia aqui como emitir

"Modo de usar" este roteiro: ele está exatamente como eu fiz. Sugiro conferir os horários (que costumam sofrer poucas alterações) e os valores (que podem mudar muito) nos links oficiais que coloquei e... boa viagem!


Dia 1 - Perth

Catedral St. Mary's

Comecei o tour, a pé, pela simples e bonitinha igreja.

Quanto: entrada gratuita

Infos sobre missas aqui


Saint George's Cathedral

Fica a 750 metro da St. Mary's. Muito bonita, de tijolo à vista, escura, com um belo órgão.

Quanto: entrada gratuita

Horários: 7h30-17h30

Infos atualizadas aqui


Prédios do governo

Em frente à Saint George's ficam alguns prédios com a Government House (vista externa, apenas), a Council House (prédio moderno, não recebe visitas mas quem tiver curiosidade é só pegar infos no térreo) e a Suprema Corte, com um jardim lindo.


The Bell Tower

É um dos principais pontos turísticos de Perth, mas não subi, apenas passei por ela.

Quanto: a partir de AU$ 9 (preço de 2018) - veja a conversão em Reais

Horários: veja aqui

Infos atualizadas aqui


• A Hay St. tem várias opções para o almoço. Aproveite e faça câmbio por lá, as cotações são ótimas e não cobram comissão.


Kings Park

Pegue a St. Georges Terrace e passe pelo Barracks Arch, outro ícone de Perth. Siga pela Malcolm St. até o maravilhoso parque, para uma caminhada, fazer piquenique ou tomar um café. Dá pra passar a tarde toda. No complexo fica o War Memorial, que dá uma vista incrível da cidade, e o Jardim Botânico, com muitas espécies nativas.

Quanto: entrada gratuita

Horários: 24 horas


Heirisson Island

No fim da tarde, visitei a ilhazinha que serve de morada para um monte de cangurus. Dá pra chegar bem perto dele, é uma experiência muito legal, mas meio arriscada, porque o bicho pode se irritar e partir pra cima. Cuidado.

Quanto: entrada gratuita

Horários: 24 horas


• Um bom local para jantar é a região de Northbridge, onde tem cerveja muito boa, clima bacana, vários restaurantes, bares e baladas.

Dia 2 - Perth

Praias

Comecei o dia na Mettam's Pool, mais ao ao norte, e fui descendo para conhecer algumas das prais de Perth. Apesar de muito sol, o vento era impressionante e a água bem gelada, sem chance de entrar. Além disso, em algumas praias há avisos desencorajadores a quem pretende dar um mergulho, como "pedras submersas, correntes fortes e cobras (!)". Pelo menos foi bem bonito observar o pessoal de parasail. As praias visitadas foram Scarborough, Brighton, Floreat, City Beach e Cottesloe.


Estádio Waca

Waca significa Western Australian Cricket Association. Dei uma olhada apenas por fora, mas tem como visitar por dentro e há um museu.

Quanto: AU$ 20 (preço de 2018) - veja a conversão em Reais

Horários: 10h e 13h seg a sex

Infos atualizadas aqui


Parque Queens Gardens

Fica ao lado do estádio, bem pequeno e muito bonito.

Quanto: entrada gratuita

Horários: 24 horas

Dia 3 - Perth

Rottnest Island

É uma ilha bem pequena e paradisíaca que fica bem próxima a Perth. Saí 8h30 do terminal em frente à Bell Tower e cheguei 10h45. Comprei os tickets on-line aqui (ferry + bike), imprimi e apresentei na hora. A bike pega quando chega à ilha, tudo bem rápido.

Compre comida e água na chegada, porque fora do centrinho não há opções. O mapa do celular ajuda bastante. Pelas estradas você certamente vai topar com os habitantes mais famosos de Rottnest, os simpáticos quokkas.

É meio corrido, mas dá pra fazer a volta na ilha inteira. O ferry da volta saiu às 15h55 e chegou às 17h45. Aproveitei para caminhar pela margem do rio Swan no fim da tarde e ver os passarinhos coloridos se recolhendo foi um show.

Dia 4 - Perth a Jurien Bay

Bem de manhã, retirei o carro alugado para, pela primeira vez dirigindo na mão inglesa (é tranquilo, mas sugiro pegar um carro automático), percorrer pouco mais de 200 km até

Jurien Bay. Estrada ótima, muito bem sinalizada, maior parte pista simples e 110 km/h.


Yanchep National Park

O lugar é muito legal, com trilhas, cangurus e coalas - veja aqui outras atividades. Tem um café ótimo e uma boa loja de souvenir.

Quanto: AU$ 13 por carro (preço de 2018) - veja a conversão em Reais

Infos atualizadas aqui


Depois do parque segui pela linda estrada, repleta de dunas móveis (foto), e parei em Lancelin pra curtir o visual antes de chegar a Jurien Bay.

Dia 5 - Jurien Bay

Lago Thetis

Pela India Ocean Drive em direção a Cervantes, vire à esquerda para acessar o lago. É muito interessante conhecer os estromatólitos, fósseis originados por bactérias e cianofitas e que são um dos vestígios de vida mais antigos da Terra.

Quanto: grátis


Cervantes

Vale uma parada para observar, do mirante da praia, as Ilhas Cervantes, que são uma reserva natural e abrigam animais e plantas.


Nambung National Park (Pinnacles)

Não tem como descrever precisamente o espetáculo de cores desse parque. Os pináculos dão um visual totalmente inusitado, incrível. Leve muita água e comida, pois o calor é forte e há uma trilha a pé e outra de carro (faça as duas). No Visitor Center tem a história do local, outras infos importantes e uma lojinha.

Quanto: AU$ 13 por carro (preço de 2018) - veja a conversão em Reais

Horários: 9h30-16h30

Infos atualizadas aqui


Praia em Jurien Bay

No fim da tarde, o lindo pôr do sol na praia é perfeito para encerrar o dia.

Dia 6 - Jurien Bay a Denham

Até Denham são 655 km de estradas praticamente desertas, com algumas paradas.


Greenough

A cidadezinha te, construções antigas, da década de 1860. No Central Greenough Historic Settlement é possível visitar os prédios da época do início da comunidade, como igreja, escola, residências, delegacia, tribunal e prisão, com móveis daquele tempo. No visitor center tem um café e venda de souvenirs.

Um detalhe curioso da região são as árvores tortas, por conta do vento forte e constante.

Quanto: AU$ 6 por adulto (preço de 2014) - veja a conversão em Reais

Horários: 9h-16h

Infos atualizadas aqui


Hamelin Pool

Outro lago repleto de estromatólitos, e este é um dos dois locais na Terra onde existem estromatólitos vivos. Muito interessante.

Quanto: entrada gratuita

Infos atualizadas aqui


Shell Beach

Nesta incrível praia, em vez de areia há bilhões de pequenas conchas. No passado, as conchas eram compactadas e cortadas em tijolos na vizinha Denham.

Quanto: entrada gratuita

Infos atualizadas aqui

Dia 7 - Denham

Eagle Bluff

Pra começar o dia, uma linda vista do oceano a partir do mirante em Eagle Bluff. As placas dizem que é possível avistar alguns animais como tubarões, tartarugas e raias, mas não tive essa sorte.

Quanto: entrada gratuita


Little Lagoon

Lugar delicioso para passar a tarde toda, com água bem quente e salgada e um vento bem forte. A lagoa é rasa e há muitas conchas na margem, as fotos ficam ótimas.

Quanto: entrada gratuita

Dia 8 - Monkey Mia

Observação de golfinhos e passeio de barco

O encontro com os golfinhos foi o principal motivo para ir até Monkey Mia. A experiência é incrível, a equipe é muito profissional e o respeito e a preocupação com os animais é evidente. Cada um deles tem um nome e há até uma árvore genealógica desenhada para os visitantes se familiarizarem.

Normalmente, são três visitas por dia, e na terceira visita é mais difícil de ver. A primeira é mais concorrida e no máximo 5 golfinhos comem em cada uma, para não desestimular a caça e manter ao máximo seu estado selvagem.

Pessoas aguardam ansiosamente na praia, não pode passar protetor. No primeiro dia os bichinhos não apareceram (disseram que é bem raro isso acontecer, em média quatro vezes por ano). Em 2014 e 2013 não haviam faltado sequer um dia. A explicação é que a maré estava baixa e existe um cordão de seagrass em volta da área de alimentação, que impediu a passagem. Com isso, eles teriam que se deslocar mais que do que o normal para passar o cordão e havia uma fêmea grávida no grupo, então os funcionários acham que o grupo preferiu ficar com ela. Ok, motivo mais do que justo. O jeito foi voltar no outro dia.

No local tem restaurante e mercadinho/loja de souvenirs. Dá pra ficar o dia todo curtindo a bela praia, com ou sem golfinhos.

Aproveitei para fazer um passeio de barco (das 13h às 16h30 - compra direto lá) para ver animais marinhos. É bem legal e ainda ganhei outro passeio de barco no fim da tarde para ver o pôr do sol (das 17h30 às 19h).

Quanto: AU$ 15 por adulto (preço de 2018) - veja a conversão em Reais

Horários: 8h-12h (recomenda-se chegar até 7h45)

Infos atualizadas aqui

Dia 9 - Monkey Mia

Observação de golfinhos e trilha

Voltei a Monkey Mia para tentar, enfim, ver os golfinhos. E dessa vez não falhou, foi bem emocionante. No resto do dia, curti a praia e fiz uma trilha pelas redondezas, o local é muito bonito.

Outra possibilidade é visitar o Parque Francois Peron. O passeio tem que ser feito com 4x4 e pode ser contratado em alguma agência de lá.

Quanto: AU$ 15 por adulto (preço de 2018) - veja a conversão em Reais

Horários: 8h-12h (recomenda-se chegar até 7h45)

Infos atualizadas aqui

Dia 10 - Denham a Geraldton

Kalbarri National Park

São cerca de 410 km entre Denham e Geraldton e a parada no Kalbarri é sensacional. Não havia cabine ou funcionário cobrando a entrada, mas é paga. Deixei o dinheiro trocado numa caixinha na entrada e segui. O parque é lindo, repleto de flores silvestres, penhascos, trilhas e outras belezas, especialmente a Window Nature.

Leve comida e água, pois não há estrutura alguma no parque. Garanta combustível suficiente, pois anda-se bastante dentro do local. A areia é fofa, com chuva nem pensar em entrar com carro que não seja 4x4.

A parte chata são as centenas de moscas que atacam sem piedade. Recomendo comprar uma rede protetora no supermercado. Depois do parque vale a pena entrar na bonita cidade de Kalbarri. Caso tenha tempo, recomendo se hospedar aqui, pois há muitas atividades que não pude fazer por conta da correria.

Quanto: AU$ 13 por carro (preço de 2018) - veja a conversão em Reais

Infos atualizadas aqui


Red Bluff

Parada rápida para observar os penhascos avermelhados ao longo da praia. Durante o trajeto até Geraldton, mais algumas paradas para registrar a linda estrada, cheia de flores e vistas incríveis.

Dia 11 - Geraldton a Perth

HMAS Sydney Memorial

Antes de deixar Geraldton para dirigir os 430 km até Perth, visitei o memorial em homenagem aos 645 marinheiros australianos mortos na Segunda Guerra.


Catedral St. Francis Xavier

Também fica em Geraldton e é feita de pedra, bem bonitinha. Vale dar uma passada rápida.


Dongara e Denison

Cidades costeiras gêmeas. Na região é produzido um bom vinho. Visite Russ Cottage, de 1870, e a antiga delegacia de polícia, que hoje é um museu.


Lesueur Park

Aqui também foi uma passagem bem rápida, pois o parque não tem atrações significativas. Não tem nem Visitor Center, apenas banheiro e um auto check-in para quem vai explorar o local.

Quanto: AU$ 13 por carro (preço de 2018) - veja a conversão em Reais

Infos atualizadas aqui


Badgingarra National Park

Trilha de 3 km entre flores silvestres para encerrar o dia. Foi o mais fraco dos parques que visitei.

Quanto: grátis

Dia 12 - Fremantle

De volta à região de Perth, hospedar-se em meio aos vinhedos e vinícolas do Swan Valley é uma experiência incrível. Dividi os dois últimos dias entre Fremantle e arredores de onde fiquei hospedado, mas é mais racional visitar Fremantle a partir da cidade de Perth, que fica bem mais próxima.

Fremantle é uma cidadezinha linda, com muitos prédios históricos. Para quem vai de carro, estacionar é uma tarefa difícil e, mesmo na rua, tem que pagar (senão é multa na certa). Existem alguns estacionamentos particulares, mais caros que os públicos. Li relatos de quem foi de bike saindo de Perth e adorou.

É muito gostoso caminhar pela cidade, entrar nas lojinhas, restaurantes e bares. Visitei os arredores do porto, e entrei rapidamente no Estádio Fremantle Oval.


Fremantle Markets

Mercado icônico de 1897, mais de 150 boxes com produtos orgânicos, artesanato e praça de alimentação com restaurantes de comida internacional.

Quanto: entrada gratuita

Horários: 8h-20h sex / 8h-18h sáb e dom

Infos atualizadas aqui


Fremantle Prison

Construída com calcário esculpido por detentos, em 1850. A visita é bem legal, mas a energia é pesada. Puniam os presos com chibatadas e alguns eram enforcados. O guia avisa antes onde eram os locais de execução pra quem não quiser entrar.

Quanto: AU$ 22 (preço de 2018) - veja a conversão em Reais / outros tours disponíveis aqui

Horários: 9h-17h - tours de hora em hora, em inglês (audioguide disponível)

Infos atualizadas aqui


Para fechar o dia, uma degustação de cervejas da Little Creatures (valores e horários dos tours guiados aqui).

Dia 13 - Swan Valley

Degustação de vinhos

A região oferece uma variedade incrível de atrações. Desde cafés até as vinícolas, passa-se o dia muito bem em meio aos lindos cenários A primeira degustação foi na Black Swan, que também é um restaurante.

A segunda foi na Olive Farm Wines, bem moderna e com um shiraz excelente. É a vinícola mais antiga de West Australia e a segunda mais antiga do país. Ao lado tem o The Cheese Barrel, com muitas opções de queijos. Lugar muito agradável para almoçar.

A terceira degustação foi na Windy Creek Estate. Na época fui atendido pela própria dona, uma simpatia. Vinho com ótimo preço!

Para fechar o dia, um delicioso café no Yahava KoffeeWorks, muito descolado e com uma bonita vista do lago.

Dicas gerais

- Em Perth, faltou visitar algumas atrações como a Art Gallery of Western Australia (entrada gratuita - 10h-17h / fecha terça - infos atualizadas) e o Perth Mint (9h-17h, tours de 9h30 a 15h30, a cada hora - infos atualizadas).

- Carregue alguns mantimentos no carro, como bolachas, frutas secas e sementes, chocolate, barras de cereais e muita água, pois boa parte das estradas é deserta e o comércio nas cidades fecha bem cedo.

- Cada cidadezinha tem o seu Visitor Center, nem que seja um quiosque na entrada, com material impresso de turismo com alta qualidade.

- Estradas são simples, com pontos de ultrapassagem por pista duplicada, mas desertas. Ultrapassar um Road Train (caminhões beeem longos) requer atenção redobrada.

- Praticamente não há postos ou restaurantes entre as cidades, não vi sequer um policial ou posto de assistência na Indian Ocean Drive.

- Dirija devagar e com atenção, há muitos animais na pista, como coelhos e cangurus, especialmente no fim da tarde. Dois filhotes ameaçaram e um adulto entrou na frente do meu carro.

- Os restaurantes fecham a cozinha cedo, geralmente 21h. Um fato curioso é que alguns não têm licença para vender bebida alcoólica, então é comum pedir o prato e ir até uma loja autorizada próxima para pegar a bebida. Em algumas cidades os mercados fecham 18h.

- Troque pouco dólar australiano no Brasil ou no aeroporto, pois em Perth (Hay Street Market) a cotação é muito melhor e não cobram comissão.

Base de pesquisa

- http://www.ci.com.br/guia-mundo/especial-cidades.perth

http://www.falandodeviagem.com.br/viewtopic.php?f=50&t=338

http://viagem.uol.com.br/noticias/2011/12/05/as-margens-do-indico-perth-e-a-australia-mais-perto-do-brasil.htm

Dica de roteiro: http://www.australia.com/pt-br/explore/itineraries/wa-indian-ocean-drive.aspx

Discover Perth: http://youtu.be/v7Xn3tm50kE

31 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
Sobre mim

© 2023 by Going Places. Proudly created with Wix.com

Receba as novidades

Sândor Vasconcelos, jornalista profissional e turista amador. Resolvi juntar as duas coisas e criei o blog. Espero que os roteiros, dicas e sugestões sirvam de inspiração para muitas viagens.