• Sândor Vasconcelos

Bogotá - 4 dias

Atualizado: 9 de Set de 2018


Vista geral de Bogotá a partir de Monserrate

Época da minha viagem: novembro de 2017

Precisa de visto? Para brasileiros, não. Nem de passaporte, na verdade, só o RG (não aceitam CNH, certidão de nascimento, CPF...)

Algum outro documento? Tome a vacina para febre amarela e emita o certificado internacional, é obrigatório. Leia aqui como emitir

"Modo de usar" este roteiro: ele está exatamente como eu fiz. Sugiro conferir os horários (que costumam sofrer poucas alterações) e os valores (que podem mudar muito) nos links oficiais que coloquei e... boa viagem!


Dia 1

Museu del Oro

Comece o dia no museu mais visitado de Bogotá. Realmente, o lugar vale a pena e o preço é muito convidativo (em 2017, cerca de R$ 5). Tome o maravilhoso café San Alberto na cafeteria do lugar, você vai querer levar um saquinho pra casa.

Quanto: COP 4 mil - veja a conversão em Reais

Horários: 9h-18h ter a sáb / 10h-16h dom e feriados / fecha seg

Infos atualizadas aqui


Igreja de Sán Francisco

Bem próxima ao museu fica essa igreja barroca, escura e com muitos elementos dourados, vale muito a pena entrar. Não pode tirar fotos dentro.


• Almoço Quinua y Amaranto - restaurante delícia, menu vegetariano e atendimento muito simpático. O menu completo saiu por COP 16 mil.


Casa de La Moneda e Museu de Arte

Essas atrações ficam num mesmo complexo, junto com o Museo Botero (que visitei em outro dia, com mais calma). A Casa de la Moneda é interessante, embora o tema não me chame muito a atenção. O Museu de Arte é bacana, principalmente para conhecer alguns artistas colombianos.

Quanto: entrada gratuita

Horários: 9h-19h qua a sáb e seg / 10h-17h dom e feriados / fecha ter

Infos atualizadas aqui


Catedral Primada de Colômbia e Plaza de Bolívar

Passei duas vezes pela catedral e não consegui entrar, também não encontrei muitas informações sobre horários no site oficial. A praça é bonita, lotada de pombos. É legal passar pelo local e ficar uns minutos observando o movimento.

Dia 2

Museo Botero

A coleção é incrível! Além das obras do mundialmente conhecido artista colombiano Fernando Botero, no mesmo complexo é possível visitar as obras de sua coleção particular, doadas à Colômbia. Como condição, ele exigiu que não fosse cobrado ingresso. Há obras de expoentes como Camille Corot, Camille Pizarro, Vuillard, Renoir, Monet e muitos outros.

Quanto: entrada gratuita

Horários: 9h-19h qua a sáb e seg / 10h-17h dom e feriados / fecha ter

Infos atualizadas aqui


Centro Cultural Gabriel García Márquez

No complexo sempre tem alguma atração cultural, quando eu fui havia uma com o tema Frida Kahlo. Há também uma livraria.

Quanto: entrada gratuita

Horários: 9h-19h seg a sáb / 10h30-17h dom e feriados

Infos atualizadas aqui

Dia 3

Monserrate

Para chegar ao topo peguei um funicular na Carrera 1. Chegue cedo, porque a fila estava bem grande (veja na imagem 1). Cuidado com o sol, que pode ser bem forte e o lugar da fila é aberto. Em compensação, tenha em mente que o tempo pode mudar a qualquer instante lá em cima. Foi o que aconteceu comigo: de repente esfriou bastante, surgiu uma névoa densa e começou a chover, como dá pra ver na foto 4 acima.

O topo está a mais de 3 mil metros de altura, dá até um pouco de enjoo. Além da bela igreja, tem café, banheiro (pago), lojinhas de souvenir, restaurantes... Enfim, dá pra passar boas horas por lá e a vista é incrível.

Quanto: COP 20 mil, funicular ida e volta - veja a conversão em Reais

Horários: 6h30-17h30

Infos atualizadas aqui

Dia 4

Catedral de Sal de Zipaquirá

A catedral é, atualmente, o ponto turístico mais visitado da Colômbia. Normalmente, aluga-se um táxi em Bogotá. Decidi fazer o trajeto como um local, de trem, e não me arrependi.

A primeira info importante é que o trem só faz o tour aos sábados, domingos e feriados. Ele sai às 8h15 da Estação Sabana e o ticket custou COP 55 mil ida e volta, aceita cartão de crédito. Para não correr risco, passei na estação um dia antes para adquirir as passagens. Aqui vai a segunda dica importante: não se arrisque, como eu fiz, a ir a pé até a estação, pois o caminho é bem perigoso, com muitos usuários de drogas pelas ruas. A própria atendente do guichê me avisou que eu não deveria andar a pé por ali, então pegue um táxi. No dia da viagem a espera é num café da estação e vendem café da manhã no trem, que também tem restaurante. No trem você pode adquirir o passeio à catedral (COP 37 mil) ou a Nemucón (34 mil), pagamento em dinheiro. Visitei só a catedral.

Ir de trem foi uma ótima forma de ter uma visão geral sobre Bogotá, inclusive as partes mais degradadas, favelas nos morros, etc. A ida durou cerca de 3 horas (e são menos de 50 km!), com direito a bandinhas tradicionais tocando pra diversão dos passageiros. Quem não deseja fazer os tours pode fazer um city tour em Zipaquirá, por COP 7 mil.

Entregam o ingresso no trem e na chegada há vans esperando para levar à catedral, trajeto que leva menos de 10 minutos. Os turistas têm 2 horas pra visita, é tempo suficiente. No complexo há infraestrutura completa, com banheiros, lojinhas, barracas de comida e bebida. O espelho d'água é muito legal, fica no complexo de lojinhas, no fim da igreja.

Ao fim do tour a van leva a Cajicá (15 minutos), onde temos uma hora e meia pra almoçar. Há várias ofertas, fui ao Los Calzones de Mi Abuela, onde descolei um prato vegetariano. O lugar é bem agradável, com um jardim enorme, aberto, onde ficam as mesas. Há apresentação de músicas e danças típicas, parece um grande almoço em família.

O passeio é excelente e a catedral é inacreditável!

Eu me baseei nesse ótimo relato pra optar pelo tour de trem.

Quanto: COP 55 mil trem ida e volta / COP 37 mil tour Catedral - veja a conversão em Reais

Infos atualizadas aqui (catedral) e aqui (trem)

Dicas gerais

- Não vale a pena comprar pesos colombianos no Brasil (difícil de encontrar e cotação ruim). Leve dólares americanos e troque uma parte já no aeroporto, pois não é muito pior que a das casas de câmbio centrais.

- No primeiro dia, vale a pena passar no lindo Teatro Colón e garantir algum espetáculo. Eu vi uma apresentação sensacional de um violinista venezuelano.

- Mesmo no verão, leve uma boa blusa, pois o tempo em Bogotá varia muito.

- Os táxis são bem baratos e, pelo menos pela minhas experiências, os motoristas são muito honestos e simpáticos.

- Mesmo na região central, onde vi muitos policiais nas ruas, evite dar bobeira tarde da noite.

- Em todos os lugares com dicas de Bogotá há uma indicação unanimidade: o restaurante/casa de show Andrés Carne de Res (ou Andrés DC), que fica beeem distante da região central. Não pude ir, mas como os relatos são muito positivos, fica aqui a dica.

- Além do café maravilhoso do Museu del Oro, indico muito o café Xue, que pode ser provado e comprado no aeroporto. Sensacional!

- Sou vegetariano e me virei bem. Além do já citado Quinua y Amaranto (delicioso, fui duas vezes), vale entrar em um restaurante de comida típica do centro e pedir que substituam a carne.

Base de pesquisa do roteiro:

https://www.viajenaviagem.com/2010/12/bogota-de-quinta-a-domingo-por-andre-urso

https://www.buzzfeed.com/danielacadena/encantadores-cafes-de-bogota-que-tienes-que-visitar-ahora?utm_term=.cf5DMXVmz#.wpNXZNeGm

https://theculturetrip.com/south-america/colombia/articles/the-best-vegetarian-restaurants-in-bogota/

http://miviajar.com/2017/02/27/tren-de-la-sabana-de-bogota/

92 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
Sobre mim

© 2023 by Going Places. Proudly created with Wix.com

Receba as novidades

Sândor Vasconcelos, jornalista profissional e turista amador. Resolvi juntar as duas coisas e criei o blog. Espero que os roteiros, dicas e sugestões sirvam de inspiração para muitas viagens.