• Sândor Vasconcelos

Cancun - 7 dias

Atualizado: 9 de Set de 2018


Época da minha viagem: agosto de 2013

Precisa de visto? Para brasileiros, não. Uma dica é levar documentos impressos que comprovem sua estadia e, mais importante, sua volta, pois a imigração mexicana pode ser meio chatinha

Algum outro documento? Vale a pena tomar a vacina para febre amarela e emitir o certificado internacional. Antes de qualquer viagem, confira aqui se o(s) país(es) de destinos exige(m) a vacina e leia aqui como emitir o certificado internacional

"Modo de usar" este roteiro: ele está exatamente como eu fiz. Sugiro conferir os horários (que costumam sofrer poucas alterações) e os valores (que podem mudar muito) nos links oficiais que coloquei e... boa viagem!

Dia 1

Praia

Aproveite o primeiro dia no incrível mar do caribe. As praias têm opções como parasail (paraquedas puxado por barco - procure os donos dos barcos diretamente nos píers ao longo da praia ou informe-se no hotel), uma oportunidade para ter uma vista incrível, banana boat (foto), etc.

Dia 2

Cobá

Com carro alugado, dirigi cerca de 180 km (por Playa del Carmem) até as ruínas maias de Cobá. Contratei um guia (negocie o valor) e achei que valeu a pena, para conhecer bem a história do lugar e do povo.

A cidade, que durou de 400 a 1100, chegou a abrigar 50 mil habitantes. A visita é bem pesada: muita informação, o local é imenso e o calor castiga.

Após conhecer a primeira parte das ruínas, alugue uma bicicleta ou uma “bicitáxi” e continue o tour pelo local. O mais legal da visita é a pirâmide Nohuch Mul, com 42 metros de altura que proporcionam uma vista impressionante dos arredores.

Quanto: $ 70 pesos (preço de 2018) - veja a conversão em Reais

Horários: 8h-17h

Duração: dia todo

Infos atualizadas aqui

Dia 3

Chichén-Itzá

É o mais importante sítio arqueológico maia do México. Declarado patrimônio da humanidade pela Unesco em 1988, Chichén também foi eleito uma das sete novas maravilhas do mundo em 2007. Estima-se que tenha sido fundada há uns 2.500 anos. De Cancun, fui de carro pela estrada federal (180D). São 200 km e leva-se umas 2h30 de viagem. A rodovia é excelente, dupla, e há dois pedágios bem caros (uns R$ 50 - preço de 2013 a ida). Esse blog coloca como ir de ônibus, também uma boa opção. E outra alternativa é fechar um pacote com alguma agência.

Chegando a Chichén-Itzá, ainda na pista há um posto de atendimento que vende os ingressos e oferece estacionamento + almoço em um hotel colado ao sítio. Aceitamos a oferta e a comida estava muito boa, à vontade.

A construção mais importante é a Pirâmide Kukulkán (foto), um emblema da cultura daquele povo e a arquitetura é de cair o queixo.

Quanto: $ 64 pesos (preço de 2018) - veja a conversão em Reais

Horários: 8h-17h

Duração: dia todo

Infos atualizadas aqui


Valladolid

Na volta, pela rodovia 180, passei por Valladolid, uma cidadezinha colonial linda. Visitei o centro, nos arredores da bela igreja de Sán Servacio (foto). Por lá há lojas de tequila e pode-se aprender sobre o processo de fabricação da bebida. O ponto negativo da volta pela estrada não pedagiada é que levei cerca de 5 horas, pois a velocidade é reduzida.

Dia 4

Parque Xel-Há

Experiência é incrível . Fica a 110 km de Cancun (1h30) e o sistema é all-inclusive. É bom chegar bem cedo e tomar o café da manhã (excelente) por lá. As atividades são muitas: mergulho (o parque fornece snorkel gratuitamente, mas exige um depósito de segurança em dinheiro), salto de plataforma e muitas outras (inclusive o condenável mergulho com golfinhos, atividade que não recomendo, por conta do sofrimento animal). O almoço é muito bom e, embora o parque estivesse lotado, não tive dificuldades em arrumar uma mesa e me servir. Durante o dia todo estão disponíveis bebidas, alcoólicas ou não. Cadeiras, espreguiçadeiras e redes ficam espalhadas pelo local.

Quanto: US$ 89,99 (preço de 2018) - tickets on-line aqui

Horários: 8h30-18h

Duração: dia todo

Dia 5

Tulum

De Cancun são 130 km. Na bilheteria oferecem um combo com o ingresso e o passeio de barco com mergulho, então dá para se ter uma visão das ruínas a partir do mar e ver algumas partes “escondidas”, como a moradia do xamã, que fica meio afastada. Faça passeio completo, é fantástico.

Tulum é uma cidade murada e foi um importante porto. Uma diferença importante para as outras ruínas em que estive é que a infraestrutura é muito completa, com restaurantes, bares e lojas de todo tipo. Após a visita, almocei por ali e depois fui curtir a praia e o passeio de barco com mergulho de snorkel (o recife de corais da região é um dos maiores do mundo), ambos sensacionais.

Quanto: $ 70 pesos (preço de 2018) - veja a conversão em Reais

Horários: 8h-17h

Duração: dia todo

Infos atualizadas aqui

Dia 6

Praia

Recupere-se da imersão histórica dos últimos idas relaxando na praia

Dia 7

Isla Mujeres

Peguei um ferry de El Embarcadero, (existem outros pontos de partida, infos aqui). O percurso dura uma meia hora. Chegando à ilha, vale alugar um carrinho de golfe (uns R$ 100 o dia todo, preço de 2013) logo na saída do porto, pois dá autonomia para rodar a ilha toda.

A primeira parada foi na Tortugranja, projeto de proteção a tartarugas-marinhas. Depois fui até a ponta sul, que proporciona vistas incríveis (aquele mar de vários tons de azul). Rodei a ilha e passei o fim da tarde no centrinho. Há várias lojas e restaurantes, o colorido do lugar é sensacional.

Duração: dia todo


Coco Bongo

Balada mais famosa de Cancun. Mesmo que você não curta balada ou ache que está “velho” para uma noitada, não deixe a Coco Bongo fora do roteiro. As músicas são para todos os gostos, desde eletrônica até Kiss cover, passando por Michael Jackson. Isso tudo com uma produção visual perfeita.

Quanto: US$ 80 (preço de 2018)

Infos atualizadas aqui

Dicas gerais

- Dicas de como escolher onde ficar: aqui e aqui.

- Do aeroporto de Cancun para a zona hoteleira, vale a pena tomar um táxi se estiver em três ou quatro pessoas. Para uma ou duas, um shuttle fica mais em conta. - Reserve dias inteiros para as ruínas e parques. Nada de fazer combinado, mesmo que seja um ao lado do outro. Acaba-se não aproveitando direito nenhum deles. - Em Chichén-Itzá, se não estiver interessado em comprar os souvenirs, finja que é surdo, senão vai perder um bom tempo ouvindo as argumentações dos (muitos) vendedores). - Para visitar os sítios arqueológicos, leve muita água e protetor solar, porque calor e sol forte são as especialidades desses lugares. - Chegue bem cedo ao parque Xel-Há. O café da manhã é excelente e está incluído no valor. O parque é tão legal que quando se percebe o dia já acabou. - Nas praias dos hotéis existem várias opções de diversão, como banana-boat, jet-ski, etc. Feche direto com o dono, sem os intermediários que ficam pela praia e cobram uma alta comissão. - Alugue um carrinho de golfe em Isla Mujeres, não é caro e vai dar uma autonomia para conhecer a ilha no seu ritmo.

19 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
Sobre mim

© 2023 by Going Places. Proudly created with Wix.com

Receba as novidades

Sândor Vasconcelos, jornalista profissional e turista amador. Resolvi juntar as duas coisas e criei o blog. Espero que os roteiros, dicas e sugestões sirvam de inspiração para muitas viagens.